Odontologia - FUNESA

Forums > Diagnóstico e Tratamento das Doenças Periodontais.

Diagnóstico e Tratamento das Doenças Periodontais.

This topic is closed. Only moderators and the group administrators can post new replies.
05 August 2012, 11:41 AM

No adulto, a forma mais comum de doença bucal, é a periodontite crônica. Devido à sua evolução lenta, seria esperado que todos os casos de periodontite crônica pudessem ser diagnosticados pelos cirurgiões-dentistas, evitando a perda de dentes. Como, na maioria das vezes, sua progressão é silenciosa, raramente existe a queixa ou procura por esse tipo de diagnóstico e/ou tratamento uma vez que, no máximo, o paciente percebe sangramento ao utilizar a escovação diária.

A gengivite, por sua vez, é uma doença causada por deficiência de higiene bucal, permitindo a formação e acúmulo de biofilme dental. É completamente reversível, se tratada a tempo, porém, sem tratamento, a gengivite progride para a perda de inserção e perda óssea periodontal, que são lesões irreversíveis.

Considerando que, normalmente, o paciente vai ao dentista por causa de dor ou para saber se possuem lesões de cárie e observando que cabe ao profissional da Odontologia, independentemente da queixa ou motivo da consulta, realizar o exame e diagnóstico periodontal, fazemos as seguintes provocações:

1. Você realmente conhece o diagnóstico periodontal dos seus atuais pacientes em tratamento?

2. Qual exame deveria ser feito por todos os profissionais e é recomendado pela OMS, na primeira consulta, para se determinar o diagnóstico periodontal inicial?

3. Sendo a gengivite e a periodontite, doenças basicamente associadas a deficiência de higiene bucal, quanto tempo você investe no tratamento dos seus pacientes para orientá-los e motivá-los em relação ao controle do biofilme dental?

4. Quando e quais soluções antissépticas deveriam ser recomendadas na Odontologia?

5. Quanto ao uso racional de antibióticos sistêmicos, quando indicar e quais são suas vantagens e desvantagens?

Edits to this post:

09 August 2012, 7:20 PM

Olá. O texto a seguir é de autoria de Edna Motta: 

As doenças periodontais cujo fator etiológico é o biofilme dental (comunidades de bactérias presentes na cavidade bucal) é uma das grandes responsáveis pela perda de dentes em adultos. As doenças periodontais são consideradas infecções nas estruturas de suporte dos dentes (que venha a ser: osso, ligamento periodontal e gengiva); Sendo que a inflamação na gengiva chama-se gengivite e a perda de suporte dos dentes chama-se Periodontite. As características clinicas da gengivite são: sangramento da margem gengival ao escovar os dentes ou espontaneamente vermelhidão, edema e mudança de textura(flacidez) da gengiva. A gengivite causa desconforto e mau hálito.

Se a gengivite persistir por um longo período, meses ou anos poderá evoluir para uma periodontite que é uma inflamação nos tecidos de suporte (como já foi mencionado) que poderá evoluir até a perda dos dentes. Para evitar a gengivite recomenda-se a correta escovação, geralmente ensinada pelo profissional dentista, como também o uso do fio dental após as refeições e antes de dormir. Se a gengivite persistir poderá evoluir para uma periodontite, que uma vez instalada para um tratamento correto será feito pelo profissional dentista, que vem a ser: a remoção da placa bacteriana, sessões de raspagem e alisamento dos dentes e instrução de higiene oral. O acompanhamento do profissional será feito com manutenções periódicas. A gengivite também pode ser causada por distúrbios hormonais, imunológicos, diabetes, e outros. Fumo e stress também podem influir na evolução da periodontite. 

Uma vez instalada a doença periodontal, a terapia inicial consiste na raspagem e alisamento das unidades dentárias. Quando a terapia convencional isoladamente não alcança o sucesso o uso de antibióticos, torna-se uma opção de terapia viável. Como exemplo tem o metronidazol, a clorexidina, e a tetraciclina. Estes nas formas de antimicrobiano local: 

1. Gel de metronidazol.

2. Chip de Clorexidina.

3. Fibras de Tetraciclina a 25%.

Segundo a literatura, a clorexidina é o principio ativo mais eficaz para o controle da placa bacteriana na ajuda da ação mecânica da escovação e do uso do fio dental para prevenção da saúde oral. Os cremes dentais recomendáveis não é por marca comercial, mas como auxiliares com as indicações anti-placa ou anti-tartaro. Apesar desses fármacos serem muito úteis na odontologia seu uso deve ser racional e supervisionado pelo profissional dentista.

Edits to this post:

vanda maria's profile picture
Posts: 6
10 August 2012, 6:54 PM

1) Você realmente conheceo diagnostico periodontal dos seus atuais pacientes em tratamento?

R. Sim, durante o exame fisico,após anammese examino em primeiro lugar a boca na pesquisa de qualquer alteração não restrita somente aos dentes. Gengivas vermelhas e edemaciadas indicativa de gengivite ou doença degenerativa das gengivas, descoloraçãobranca etc.. Inspeciono em seguida os dentes com o espelho e explorador, na pesquisa de alteração de cor indicativa de cárie ou qualquer fenda ( cavidade )

2) Qual exame deverá ser feito por todos os  profissionais e é  recomendoda pela OMS, na primeira consulta para se determinar o diagnóstico periodontal inicial?

R. Exame clinico

3) Sendo a gengivite e a periodontite doença basicamente associada a deficiência; quanto tempo você investeno tratamento dos seus pacientes para orientá-los e motivá´los em relação ao controle do biofilme dental?

R. De 30 a 60 minutos

4) Quando e quais soluções antissépticas deveriam ser recomendadas na odontologia?

R. Desinfecção da boca em estágio único / Solução de clorexidina

5) Quanto ao uso racional de antibióticos sistêmicos; quando indicar e quais são suas vantagens e desvantagens?

R. Quando as técnicas de raspagem e alizamento radicular, isoladamente não conseguir obter a estabilização do processo saúde-doença ou seja não responder ao tratamento convencional. / Combater doençãs periodontais avançadas. / Pacientes com infecções peridontais agudas ( abcesso periodontal  e doênças periodontais necrosantes ) , associadas com manifestações sistemicas como febre e linfoadenopatias. / Para profilaxias em pacientes com comprometimento médico ou com condições médicas que predisponham as doênças periodontais e em fumantes.

VANTAGENS: Combater com eficáçia as doênças periodontais avançadas;  ser efetivos e seguro; atua nas infecçoes agudas (abcesso periodontal) ; ação profilatica em pacientes com comprometimento médico etc...

DESVANTAGENS: Indução de resistência bacteriana; superinfecção por outros microorganismos; toxidade; interação medicamentosa; reações alergicas etc...

Edits to this post:

Sandra Roriz's profile picture
Posts: 18
12 August 2012, 8:31 AM

Vanda,

você não concorda que além do exame clinico deveremos realizar o PSR para avaliar a doença periodontal? Muitas vezes clinicamente está tudo normal e quando realizamos a sondagem observamos bolsas periodontais.O exame PSR  é rápido e prático.

thereza cristina's profile picture
Posts: 15
13 August 2012, 6:52 AM

realmente sandra este exame deveria ser rotina em todas as unidades de saude,pois é um exame simples e consegue  ,logo no inicio a doença periodontal ser detectada e tratada com muito mais facilidade e menos custo.

glady farias's profile picture
Posts: 29
15 August 2012, 12:59 PM

 Francisco, a explicação é só pra Sandra, eu pensei que você é que tinha postado ,porém foi Sandra. Eu me atrapalhei.O endereço estar errado.O que escrevi é verdadeiro. . 

Sandra Roriz's profile picture
Posts: 18
12 August 2012, 8:10 AM

Quando recebemos os pacientes no CEO não há o diagnostico preciso da doença periodontal por não ser rotina do exame PSR (exame periodontal simplificado) nas UBS.  Na fase adulta a perda dentária mais freqüente é devido à doença periodontal crônica, pelo motivo da obtenção do diagnostico tardio. Devemos realizar o PSR em todos os nossos pacientes para o diagnostico precoce das periodontopatias. Nos pacientes jovens temos que ter o cuidado redobrado pelo motivo da erupção dentária dando a impressão de ser o código 3. Já nos pacientes que vão ser submetidos ao tratamento protético e ortodônticos deveremos ter mais cautela e explicar detalhadamente o diagnostico do PSR para futuramente não haver surpresas desagradáveis com o prognóstico. O PSR não exclui o exame padrão, ele mostra se realmente será necessário realizá-lo, para não haver perda de tempo no consultório.

Devemos usar no paciente o evidenciador de placa e pedir para o mesmo realizar a escovação e o uso do fio dental. Após a supervisão, deveremos motivar e orientar a forma  correta da higienização oral. Acredito que não gastamos mais de 15 minutos.

A clorexidina 0,12%, colutório, é considerada o “padrão ouro” por combater o biofilme dental e permanecer ativa por mais tempo no meio bucal. Deverão ser administrados para bochechos antes e após cirurgias, raspagens e alisamentos radiculares e por um tempo limitado, pois as mesmas manchas os dentes, aumenta a formação de calculo e altera o paladar.

A antibioticoterapia tem as suas principais indicações:

- Com finalidade de potencializar os procedimentos periodontais cirúrgicos ou não cirúrgicos, onde não se consegue a eliminação dos periodontopatógenos;

- Para pacientes com infecções periodontais agudas e recorrentes;

- Nas profilaxias em pacientes com comprometimento médico;

- No fumante, pois ele tem a resposta diminuída ao tratamento periodontal.

Na administração de antibiótico sistêmico a primeira escolha na periodontia deve ser a combinação metronidazol/amoxicilina principalmente quando não for possível a realização de teste antimicrobiano. Caso o paciente tenha alergia podemos usar a ciprofloxacina ou doxiciclina.

As vantagens do uso da antibioticoterapia são:

Redução na PS, ganho de NIC, diminuição da gravidade e extensão da cirurgia periodontal, eliminação de patogenos invasivos dos tecidos periodontais.

E as desvantagens são:Resistência bacteriana, toxidade, interação medicamentosa, reação alérgica, super infecção por microorganismos resistentes.

Edits to this post:

thereza cristina's profile picture
Posts: 15
13 August 2012, 6:38 AM

Doença periodontal é uma doença infecto-inflamatória que acomete os tecidos de suporte (gengiva) e sustentação (cemento, ligamento periodontal e osso) dos dentes. Caracteriza-se pela perda de inserção do ligamento periodontal e destruição dos tecido ósseo adjacente. A evolução deste processo leva à perda dos dentes, pois o comprometimento e a destruição, pela ação bacteriana, acúmulo de tártaro e inflamação destas estruturas colaboram para a formação de bolsas periodontais que levam à mobilidade dentária.  O tratamento da doença, no seu estágio inicial, consiste em raspagem sub-gengival da raiz do dente, pelo cirurgião dentista, removendo o principal causador, que é a placa bacteriana aderida ao dente. Nos estágios mais avançados da doença, há a necessidade de cirurgias, e, às vezes, antibioticoterapias. A enfermidade ocorre mais freqüentemente em indivíduos adultos acima de 35 anos. Pode também, com menor freqüência, atingir pessoas jovens ou até mesmo crianças. Alterações sistêmicas como a diabetes podem influir na marcha de progressão da doença. Fumo e stress são também coadjuvantes que contribuem para uma maior perda de sustentação em periodontites ativas (não tratadas).As características nem sempre são perceptíveis principalmente no início e somente o exame clínico e radiográfico poderão identificar a doença.Os tratamentos baseiam-se na remoção da causa através de raspagem, alisamento e polimento dos dentes e mais uma boa higiene oral.De acordo com os resultados do tratamento são estabelecidas visitas periódicas ao periodontista para diagnosticar e evitar a recolonização bacteriana eliminando a recidiva da doença. Cabe lembrar que todos os dias se aderem novas bactérias nos nossos dentes.Portanto o diagnóstico precoce e higiene oral aprimoradas são as principais armas que temos para evitar a inflamação e progressão da periodontite.

 

 

glady farias's profile picture
Posts: 29
15 August 2012, 8:47 AM

Sandra, a explicação é a mesma que escrevi para Francisco. Não cabe a mim a escolha de tratamento para doenças periodontais. Somente diagnosticar a mesma precocemente e encaminhar o paciente para tratamento pelo especialista. Cabe a ele o periodntista decidir que tratamento adotar.

Obs: Acho que não esclarecir o fato de que a minha participação nos procedimentos periodontais, só vão até o encaminhamento do paciente para o periodntista.No CEO,não precisa de buroracia para transferir o paciente de Endo para Perio como também para as outras especialidades existentes Ainda bem pois não se perde tempo.O procedimento é interno.

.

Sandra Roriz's profile picture
Posts: 18
15 August 2012, 7:47 PM

GLADY,

Acho que em qualquer especialidade o PSR pode ser realizado. Por exemplo: um dente enviado para tratamento endodontico, que ainda não foi passado pelo periodontista, se houver uma bolsa peridontal que invibialize o canal, somente com PSR que você pode diagnosticar pois, às vezes, mesmo com raio-x fica difícil o diagnostico periodontal.  O exame padrão é sim responsabilidade do periodontista, o PSR de todas as especialidades.